O Fortuna a Sorte

O Lua o que dizer?
De sua alma poética
Transcende estética
E uni-verso a verso
Algo que já foi dito
A quem não foi dito

No século XII,
O poema já estava
No hu-manuscritos
Num papel escrito
Em latim "Anita"
Ana ama a vida
O fortuna a virtù
Tudo com ternura
Alegria e sorte
-"Crescis aut dicrescis"
Na calada do anoteicer
Voando fora da órbita
Segredo de uma cegonha,
Trazendo a linda menina
Na xilogravura à fronha

Luís Carlos, se emocina
E se deleita em poesia
Com sabedoria e maestria
Na data do advento afeto
Sua amada imortal filha!

Sua o fortuna obra clássica
Deusa romana arte da Sorte
Face e aspecto, soneto sonoro
A bela imagem Carmina Burana
Revela-se no majestoso fulgor
Fonte forte tronco da Iburana

De prazer, eleva-se na música
Sétima sinfonia de Wolfgang
A nona sinfonia de Beethoven
Luís, relembra o céu do sertão
Com a Ave Maria de Schubert
A bela lua cheia, a noite nascer

Sua infância a era de menino
Na estrofe harmônica sintonia
-"Ode à Alegria", o esplendor!
-"Corde pulsum tangite" arte
Mandacaru florou, una menina

Com palavras amando e rimando
Não se contenta apenas chorando
Aponta o lápis a língua
Ainda latina imã a rima
-"Sors salutis et virtutis"
Escrevendo na hora poesia

Cordel velut luna vitalis
-"Michi quoque niteris"
Com o nascimento da flor
O anjo mais belo do amor
XILOGRAVURA / J. Borges

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s