Eros, Jaci e Rudá em Tramas

Fonte: José Maria de Medeiros, A personagem Iracema do romance de José de Alencar, RJ, Museu Nacional de Belas Artes, 1881.

Naquela tarde que eu te vi

Era verão de fevereiro

Que cantava o Bem-te-vi

Tu me seduzias

Por trás de um véu de asas brancas

Continuar lendo

Eros, o amor à bailar

 

A cultura dos sentimentos interior quando estão cheios de Eros, não temem em exultar e transcender de dentro para fora, o que é divino e humano, nas suas expressões ao bailar dos corpos envolvidos nos movimentos artísticos da arte, da poesia, da música e da dança.

É como se fosse um verdadeiro quadro de pintura, que entra em cena numa exposição real de galeria no centro, ao vivo e a cores. Enquanto isso, tudo está em transe movimento da órbita, na ótica e na escuta de quem na sensibilidade íntima da alma as ver contemplando Deus em seu prazer. Continuar lendo